18.10.09

Um poema para Ana

Ana

Nua

Amua

Franze o cenho

E sua

Languidez

Ardor

Vontade


Arde

O lábio

A flor

A pétala

A base

da última vértebra

A língua

A boca

O corpo

Arde


Largo o afazer e venho

Dar-te

O amor

O beijo


Estabelecer em ti

a central do meu desejo

Explorando dobras

Furnas

Escaninhos...


Dou-te mil carinhos

Meu luxurioso enlevo

Abro-te inteira

e bebo

Em teu cálice sagrado

O sumo da vida eterna


Recôndito portal

Caverna

Por onde passeio impune


A fúria

A febre

O êxtase


Um deus gozador nos une

A imensidão nos integra

Vicente Portella

5 comentários:

Beatriz Oliveira disse...

Quente e doce...
Lindo!

Vicente Portella disse...

Valeu Bia,
Beijão pra vc.

Flor disse...

Ana? =X

Vicente Portella disse...

Oi Flor,

Não posso dizer exatamente que entendi seu comentário, mas valeu...rsrs
Pena que teu perfil seja bloqueado. Tentei visita-lo mas não pude.

Beijão

Flor disse...

Ih Vicente..Tu já tá cansado de me conhecer...vc esquece rápido as suas musas heim..kkkk
Vou refrescar sua memória: Victor Hugo/Desejo...Frejat..
É que em tempos de guerra faço como Fernando Pessoa..Heterônimos me convém...rsrsrsr

beijão

L.