23.10.09

Soneto da devoção

Essa mulher que se arremessa, fria

E lúbrica aos meus braços, e nos seios
Me arrebata e me beija e balbucia
Versos, votos de amor e nomes feios.

Essa mulher, flor de melancolia
Que se ri dos meus pálidos receios
A única entre todas a quem dei
Os carinhos que nunca a outra daria.

Essa mulher que a cada amor proclama
A miséria e a grandeza de quem ama
E guarda a marca dos meus dentes nela.

Essa mulher é um mundo! uma cadela
Talvez... mas na moldura de uma cama
Nunca mulher nenhuma foi tão bela!

6 comentários:

Flor disse...

http://www.youtube.com/watch?v=5PTOUL-jEE0

Vicente Portella disse...

Belo vídeo, bela Flor. Mascaras interessantes...
Não sei quem é a Cláuda Leite, mas o vídeo é muito legal.Gostei.Ela é artista plástica?

beijo

Flor disse...

kkkkkk
Não...é a Cláudia Leite, baiana ooooooooooooooooo. é o próximo CD dela. É o vídeo clip de lançamento. Tu é bobinho "mermo"!
Não sou fão dela, mas gostei do clip.
bj.

Vicente Portella disse...

Oi Flor,

Eu não conhecia mesmo...rsrs
Mas as máscaras são legais. A baianinha deve ser talentosa...rs

Fabby Lima disse...

Olá

Amei o vídeo! Tenho um amigo no Recanto das Letras que diz que esta música é minha! Amei o seu comentário em meu blog! Obrigada pela visita! Bjs Fabby

Vicente Portella disse...

Valeu Fabby,

Todo homem sonha com uma mulher para compartilhar tal cumplicidade, creio.

Beijão e obrigado pela visita.