6.5.09

ONU condena Lula e Cabral pelos muros nas favelas

Direto do site You pode

Quem brinca com fogo, acaba se queimando. Foi isso que aconteceu com o presidente Lula e seu inexplicável silêncio sobre os muros de três metros que seu amigo Sérgio Cabral está ergüendo na favelas do Rio em nome de uma proteção ambiental na qual ninguém acredita, dada a dimensão da parede de concreto. Hoje, em Genebra, na Suíça, um perito das Nações Unidas, Alvaro Tirado Mejiam, disse que a construção das cercas marca o início de uma discriminação geográfica no país. Tudo isso aconteceu, para absoluto constrangimento do governo brasileiro, quando seus representantes tentavam defender os programas sociais no país. E não foi só isso: os peritos da ONU também jogaram duro contra a corrupção no Brasil e o acesso da população mais pobre à Justiça. A sabatina promovida pela ONU tinha a representação de 13 ministérios brasileiros. A questão dos muros, que já repercute mal entre membros do Comitê Olímpico Internacional para a definição da cidade candidata aos jogos de 2016, foi o principal tema dos peritos das Nações Unidas. Mejiam foi duro e enfático: “Estão fazendo muros entre as favelas e os bairros ricos. O que está sendo feito contra estes projetos?”- questionou.
 
20090420elpepuint_2O secretário nacional de direitos humanos, Paulo Vannuchi, ficou ficou desconcertado e pouco pôde explicar à platéia. Mais do que isso, fingiu desconhecer a amplitude do problema fartamente noticiado na imprensa:
-O muro não é uma boa idéia, representa uma limitação dos direitos humanos. Mas o Brasil não constrói muros em favelas (o goveno Cabral constrói, sim). Não conheço os detalhes, não sei se é num terreno público ou privado.
Mas a chamada calça justa dada em Vanuchi, Lula e Cabral não ficou apenas nisso. Um outro perito, o russo Yuri Kolovsov, interrompeu por um momento a apresentação do secretário e mandou na lata:

-Pare de nos dar lições. Vamos falar da corrupção que afeta todas as áreas no Brasil. Não precisamos de lições de sociologia e de história. Sabemos de tudo isso.

A sabatina da ONU visa avaliar as condições dos direitos sociais no Brasil. A questão do muro, defendida com unhas e dentes pelo governo Cabral, já foi alvo de críticas profundas do Prêmio Nobel de Literatura José Saramago, do antropólogo Roberto da Matta, do economista Sérgio Besserman e até chegou ao youtube, sendo comparado a uma política nazista. 

3 comentários:

conversaatrevida disse...

Isso de muro tem mais cara de esconder o vizinho pobre do que proteção ambiental mesmo.

Quanto ao silêncio do LULA eu diria que é NORMAL.
Quando se espera que ele diga algo normalmente ele não o faz.
Foi assim na época que começou a aparecer escândalos do PT como caixa dois e outros.
Ele também não dizia NADA...e quando disse foi pra dizer que não sabia de NADA.

Quanto ao povo lá falando isso e aquilo...
Claro que alguém tem que ficar de olho, alguém tem que tocar no assunto....MAS sinceramente eu acho que a fala deles é como o muro do Cabral:

Mostra o lado de cá...e esconde o lado de LÁ.
Questão de interesse.
E não exatamente pela ética e direitos humanos.

Opinião minha, CLARO.

bjo, bjo, bjooooooo

Atrê

Beatriz Oliveira disse...

Não ler jornal tem isso de bom... Não perco tempo pra saber notícias neo-nazistas!
Que absurdo!!!

Beatriz Oliveira disse...

Voto pelos muros no Congrsso!!!