6.4.10

Quem sabe então, o Rio será alguma cidade submersa... Zona sul paga o pato

O Rio de Janeiro pagou caro pela incompetência de seus dirigentes, Prefeito e Governador. Qualquer cidadão carioca ou fluminense sabe que o Rio sofre com chuvas fortíssimas nessa época do ano. São as chamadas águas de março, cantadas por Tom 
Jobim.
Só o Prefeito e o Governador não sabem disso.
Desde janeiro de  2009 no cargo, Eduardo Paes foi incapaz, durante todo esse tempo, de mandar limpar bueiros e galerias de águas pluviais na cidade. Pelo contrário, reduziu as verbas nessa área em mais de 70%. O resultado foi a tragédia. 
Por mais que Sérgio Cabral vá para a televisão defender seu pupilo e fazer campanha, o fato é que a cidade, assim como o Estado, está abandonada. 
Num esforço desesperado de justificar o injustificável, Cabral, diante dos microfones da Globo, TODOS  à sua plena disposição, preferiu, ao invés de apresentar soluções, botar a culpa do caos nos moradores de favelas, mostrando que além de incompetente é covarde.
O problema que ataca o Rio não vem das favelas, nem de qualquer área carente, mas sim do desgoverno. O caos se deu no asfalto, inclusive da Zona sul, graças, única e exclusivamente, à inércia de Cabral e seu estafeta, Eduardo Paes.
Na verdade a própria população da Zona sul pagou caríssimo pelo apoio que dá a ambos. Em troca de votos e apoio a Zona sul recebeu esgoto e enchente.
Nada disso aconteceria se os compromissos de Eduardo Paes com a cidade fossem maiores do que aqueles que ele tem com o mundo financeiro.
Tanto o Prefeito quanto seu chefe, o (des) Governador, perdem o foco governamental quando vêm possibilidades de lucro a sua frente, por isso, ao invés de cada um fazer seu trabalho, preferem negociar prazos de concessões de serviços públicos, ignorando, inclusive, a própria instituição dos serviços públicos em si..
Cabral chegou a dizer na imprensa que os problemas são técnicos e devem ser respondidos pelos responsáveis técnicos, pois ele é "apenas" Governador. Ao que parece, crê, piamente, que o cargo se resume ao direito de passear pelo mundo - Paris, New York, etc - às custas da população que paga impostos.
Eduardo Paes chegou à, ele mesmo, dizer que seu governo merece nota abaixo de zero. Tem toda razão. Nem ele nem Sérgio Cabral merecem ter seus Governos aprovados pela população. Um deles, Sérgio Cabral, será defenestrado em novembro. O outro, demora mais um pouco. Certamente, no entanto, o povo terá muito prazer em apea-lo do cargo em 2012.
Se querem apenas fazer seus negócios, que não seja na vida pública, e sim na privada.

2 comentários:

Claudia Letícia disse...

...apea-lo do cargo em 2012 ???
2012 já é, supostamente, o fim do mundo, que para o Rio de Janeiro parece que chegou mais cedo.

Imagens impressionantes eu vi pela televisão. Rio de Janeiro irreconhecível !!!
Uma enchente parecida com esta o Recife sofreu há 34 anos atrás: as águas jogaram o carro de um primo meu no quintal do vizinho. Meu pai se segurou num poste para não ser arrastado pelas águas; mas isto foi na década de 70.

Isa disse...

Triste o descaso com nossa gente... E governando Niteroi por quase 20 anos, o Prefeito Roberto Silveira vai para a tv com cara de tonto dizer que não sabia do lixão. Lamentável... E estamos em ano de eleição, espero não nos esquaçamos disso.
Abçs.