12.3.11

Beto Gaspari e Sérgio Meireles no Parrô da vovó

Resolvi sair da caverna ontem, aceitando um convite do Sérgio Meireles, e fui, junto com o poeta Valdo Couto, ao Parrô da vovó, casa nova na cidade, ver e ouvir Serginho e Beto Gaspari. Ouvi-los é sempre bom, graças ao repertório de primeira qualidade, inclusive com canções próprias, coisa rara de se encontrar por aí. Além do repertório do Beto, foi bom demais ouvir a belíssima guitarra de Sérgio Meireles. Boa música bem executada faz bem à alma e aos ouvidos.
A casa em si, o Parrô da vovó, foi uma grata surpresa. Bonita, bem estruturada e com boa qualidade nos serviços. 
Curioso em relação ao nome - minha cultura geral não é tão ampla assim - me apresentei ao Luiz Carlos, dono da casa, e perguntei-lhe o significado do termo "Parrô". Trata-se de uma expressão oriunda de países africanos de língua portuguesa e significa "Cabana". Ganhei uma aula completamente grátis sobre o tema, ministrada pelo próprio Luiz Carlos. Fiquei sabendo inclusive que o nome da casa surgiu como uma forma de homenagear sua mãe, dona Maria Alcina P. Ramos, a vovó.
A proposta do Parrô é interessantíssima, pois além da música - Beto Gaspari toda sexta à partir das 19hs e outros artistas da cidade aos Domingos à partir das 14hs - há também a culinária, especializada na cozinha portuguesa, e o viés cultural, pois há o projeto de utilizar a enorme e bem cuidada área atrás do restaurante como espaço para eventos relacionados a tradição portuguesa, com festas, músicas e comidas típicas.
Vale à pena registrar também uma outra surpresa, o Luiz Carlos, além ciceronear os clientes e amigos pelas dependências do Parrô, também canta. Foi legal ouvir Guns in Roses, Pink Floyd, Credence e "otras cositas más", com Serginho na Guitarra, Beto ao violão e Luiz Carlos na voz.
Enfim, muito legal. Bela oportunidade de rever bons amigos e se divertir, curtindo as coisas boas que a arte musical nos oferece.


OBS 1: O Parrô da vovó fica na Washington Luiz, 3.600, ao lado da Vantajosa móveis. No sentido Petrópolis, é depois do Nobre e antes do Concorde, ou seja, um bar entre motéis. Quer melhor?


OBS 2: A foto ficou ruim pra dedéu, mas eu botei a culpa no Valdo. Foi ele quem fotografou do celular... rs. Na verdade o fotoshop faz uma falta danada...rs

7 comentários:

Beatriz Oliveira disse...

Não duvido naaaaada que seja mutíssimo bom!!! Essa combinação deve seguir arrasando mesmo - Sergio Meirelles e Beto Gaspari! Morro de saudades dos dois! São dois artistas fenomenais, cheios de talento e só podem somar!
Parabéns ao proprietário da casa e a você, meu querido amigo Vicente, por estar sempre no meio dessas pérolas!
Beijos e fique na paz.

Sergio Meireles disse...

Muito obrigado pelo carinho de suas palavras e dizer o seguinte: Música é um complemento que não pode faltar na vida de ninguém.
Obrigado de coração!

Vicente Portella disse...

Valeu Bia, valeu Serginho...Essa vontade insana de perpetuar o belo através da arte vai nos acompanhar por toda a nossa existência, não tenho dúvidas quanto à isso.
Grande abraço.

Parrô da Vovó disse...

Caríssimo Portela

Agradeço imençamente os elogios traçados em seu blog, e prometo tentar traduzir tais palavras em serviços, muito obrigado por sua presença, pois tenho certeza de uma coisa entre nós, "Amigo é um presente de Deus", bem vindo ao meu clube muito particular.

Abraços

Luis Carlos

História, poesia e outras coisas mais !! disse...

Pois é, a gente às vezes fica meio triste com certas coisas que acontecem por aí com a nossa música, que é bela e riquíssima. Mas, quando ficamos de frente para pessoas que a tratam com tanto carinho, com tanto respeito e com tanto talento, ah!!! aí ficamos com a certeza de que tudo é uma questão de permissão. Aqueles que sabem distinguir a música do barulho, a eternizam. Os que a tratam como barulho, no máximo incomodam um pouco. O Sérgio Meirelles me fez voltar no tempo e me lembrar do Grafitis, em Jardim Primavera, quando, depois dos shows, ficávamos nos deliciando com o som de sua guitarra mágica. O Beto, bem, o Beto é o menestrel de todos nós. Grande pessoa, além de grande artista e incontestável amigo. Quanto a foto, acho que não ficou tão mal assim, o problema foi do celular do Vicente que já estava meio bêbado, rsrsrsrs Parabéns ao Luiz Carlos, parabéns ao Meirelles, parabéns ao Beto e, parabéns a todos nós por pordermos estar perto de pessoas como eles.

Sergio Meireles disse...

Vicente Portella, gostei do que você escreveu em seu perfil... Eheheheh!
Muito bom,"Nesse mundo sou passageiro... Mas, também sou motorista"
Muito bom!!!

Vicente Portella disse...

Sérgio, na verdade é parte da letra de uma música do Itamar Assunção... Vida de artista. Curto demais.