1.11.08

Caxias é uma festa...

A revitalização cultural da nossa velha e boa Duque de Caxias vem rolando de vento em popa. Na quinta, dia 30, um belo espetáculo no teatro Raul Cortes homenageou a Lira de ouro e seus mais de 50 anos de história na cidade. O primeiro a se apresentar foi o Grupo Austeros Andantes, composto por uma garotada altamente talentosa, tanto em letra quanto em melodia. Creio que ainda vamos ouvir falar bastante neste grupo, pois a criatividade por eles apresentada é coisa rara e surgem, claro, como algo novo, porém, ancorado por uma sólida base inicial.
Depois dos Austeros foi a vez de Heraldo HB. Aliás, registre-se aqui: a apresentação do artista iniciada com a canção "Pedido" de Elomar Figueira de Melo, pareceu ter ocorrido com a intenção de deixar evidente para a platéia, desde o começo, de que ocorreria ali uma manifestação do belo. Algo deslumbrante. O repertório cuidadoso e lapidado de Heraldo HB deixou a galera em estado de graça.
Logo depois veio Beto Gaspari extremamente bem acompanhado. Ricardo Barbieri (Cello) , Roberto Brevilato (Violão), Stanley Neto (Sax, gaita e clarineta) e Carlinhos Lima (percussão). Essa turma que faz história na cidade já há algum tempo, emprestou brilho e emoção à um espetáculo belíssimo, com destaque para as canções "Feitiço" de Gaspari e Bravilato, e "Veia" de Gaspari e Barbieri.
O encerramento coube ao Grupo Nosso Canto, com Beto Cavaco, André Viana e cia. Samba de primeiríssima qualidade, como sempre. Poesia pura.
Como todo o tempo do mundo parecia ser pouco para curtir tudo o que acontecia, a turma, quase toda, deu uma esticada até o Bistrô, novo útero da cultura caxiense, estendendo o êxtase pela madrugada. 
Na Sexta-feira, ainda com saudades da quinta, fomos, eu e alguns amigos, ouvir Canthidio no Boitequim, um simpatissímo boteco que fica na Ouro preto, 105 - 25 de agosto. Praticamente começamos tudo de novo. Com o auxílio luxuoso do poeta Valdo Couto e canja do compositor Gentil Nogueira, Canthídio empolgou a clientela do bar e provou mais uma vez que a cultura Caxiense está de pé e à ordem.
Encerramos novamente no Bistrô, é claro. Melhor chope da cidade e convergência natural para os fazedores de cultura. 
O fato é que Duque de caxias anda respirando arte, e isso é muito bom. Pra todos nós.

OBS: Na imagem acima Canthídio em 3 tempos. No Boitequim e no Bistrô,  primeiro com Heraldo HB e depois em apresentação solo.

5 comentários:

Atre disse...

Poxa...deu até vontade de ter participado...

Não tem vídeo não? Assim pelo menos a gente ía poder OUVIR também...

Ok, ABUSADA eu né?.......rs

Vicente Portella disse...

Valeu, Atrê,
Da próxima ves eu boto um vídeo...

Beijão

Atre disse...

rsrs....Vicente, vamos combinar que o POVO abusa né?....rs

mas é que deu vontade de VER/OUVIR mesmo...CULPA SUA viu?....

bitocas

História de sempre disse...

Valeu parceiríssimo!!! bela postagem, aliás, óntem voltei ao Bistrô, tentei fazer contato contigo mas não conseguí, não se esqueça da esposição do Marquinho amanhã, sexta-feira, grande abraço.
Valdo Couto

História de sempre disse...

Cruzes!!! "esposição" ninguém merece, leia-se "exposição".
Valdo