27.3.08

Direitos humanos forjados à balas de fuzil na favela

Nem bem o PSDB do ex-desgovernador Marcelo Allencar ensaiou sua ressureição, lançando Gabeira para Prefeito em aliança com o PV e o Pepsi, digo, PPS, e lá vem Sérgio Cabral, o filho... roubar a cena do besteirol político carioca. Parece coisa de invejoso.

Mas cá pra nós, Cabralzinho pegou pesado. De uma tacada só conseguiu desmoralizar o Molon, o PT, o seu próprio desgoverno, o PMDB, O Lula, e de lambuja, tenta avacalhar o processo eleitoral .

A desmoralização de Molon é fácil de perceber. Como é que um sujeito que até dia desses se arvorava em defensor perpétuo dos direitos humanos vai explicar em casa o fato de ter como padrinho político um exterminador de pobres?
Todo mundo sabe que Cabral, o filho... tem um nojo terrível de pobre e considera as favelas fabricas de marginais. O cara disse isso em rede nacional de TV. Não é, portanto, intriga da oposição. O próprio Lula, inclusive, deu um esporro público no Governador quando veio inaugurar as obras do PAC. Disse com todas as letras que polícia não é pra entrar na favela atirando e matando indiscriminadamente.
No começo da atual legislatura Molon deu um piti infeccioso na Alerj exigindo a presidência comissaõ de direitos humanos. E agora a gente se pergunta, pra que? pra negociar o apoio de quem manda matar o povaréu? Seria ridículo se não fosse trágico. Os direitos humanos agora, com Molon comendo na mão de Cabral... o filho, serão forjados à balas de fuzil na favela e com o apoio irrestrito da referida comissão da Alerj.
Mas, felizmente, nem tudo é desgraça. Essa portentosa lambança patrocinada pelo Desgovernador vai fazer com que boa parte dos agentes políticos do Rio de janeiro abram definitivamente os olhos. O próprio PMDB, com todos os seus quadros e mandatários percebeu claramente que a legenda não tem a menor importância para Cabralzinho. Todos, sem exceção, são tratados como massa de manobra e nem mesmo os principais líderes do partido representam algo ou merecem algum respeito por parte de Cabral, o filho... Tanto que tomou a decisão sem consultar ninguém e realizou as reuniões decisivas no palácio Guanabara, fugindo da incomoda presença de seus colegas de legenda.
Aliás, o desprezo de Cabral por seu próprio partido é tão evidente que resolveu impor como vice de Molon um secretário e amigo pessoal, um sujeito que poderia muito bem fundar o MSV, movimento dos sem votos, pois nunca foi eleito para coisa alguma.
Na prática, no entanto, a coisa nem deve alterar muito o quadro eleitoral de novembro.
Gabeira até tomou uma pancada na nuca, mas como Molon é carola de carteirinha, ainda restam ao jornalistas os doidões e similares, que não devem embarcar na canoa do petista afilhado de Cabral.
Jandirão continua na mesma. O opaco Molon não chega a tomar-lhe os poucos votos que tem, ainda mais agora, aliado à carnificina oficial.
Crivella foi o que se deu melhor nessa história. As afinidades naturais e a necessidade de reagir lhe trarão, naturalmente, tanto os descontentes do PMDB quanto o povo mais pobre, traído pelo atual Governador desde a posse.
Pode ser até, inclusive, que o Senador atráia para si o apoio de Cesar Maia. O atual prefeito ja deve estar cansado de levar pernadas de Cabralzinho.
Quem perde mesmo, coitado, é Eduardo Paes, rifado na bacia das almas sem poder sequer espernear. O Secretário de esportes largou tudo que havia construido no PSDB e foi de mala e cuia atrás da promessa de Cabral. Foi literalmente defenestrado.
Os colaboradores mais próximos de Cabral, o filho... certamente irão, depois que Molon for também jogado fora, botar a culpa no porco.
Eu explico: Dizem que ainda quando presidente da Alerj, nos anos 90, Cabral comeu um porco infectado com uma terrível bactéria, e esta, por sua vez, por vingança ou solidariedade ao porco, comeu o cérebro de Cabral, que teve até que ir para os EUA para se livrar da doença causada pela tal bactéria. Seus marqueteiros e cambonos dizem que de lá pra cá ele ficou assim. Meio abilolado.

Um comentário:

Lobo disse...

Companheiro Vicente,
Vc sempre muito coerente nos seus comentários.

O jogo é o seguinte:

O PRÓXIMO PREFEITO SERÁ O CRIVELLA.

Repara só as movimentações das peças envolvidas:

1 - Denise Frossard tinha chances de polarizar com o Crivella.
Resultado: A Denise entranhamente desistiu de ser candidata

2 - Edson Santos do PT dispara em meados de Novembro/2007
Resultado: É nomeado Ministro pelo Lula

3 - Wagner Montes dispara nas pesquisas em primeiro lugar.
Resultado: O Wagner estranhamente desistiu de ser candidato

4 - Eduardo Paes sobe nas pesquisas e já está em segundo lugar
Resultado: O PMDB retira a candidatura do Eduardo para apoiar o PT com menos de 2% de votos

5 - Jandira Feghali em segundo lugar nas pesquisas
Resultado: A Jandira deu uma declaração à imprensa dizendo que vai ficar como secretária em Niterói até junho para pensar com calma se vem como candidata ou não.

Resumindo, é o seguinte:
Em 2010, vamos ter eleições para Presidente, Governador e Deputados.
Serão 2 vagas para o Senado com 3 nomes fortes concorrendo. Cesar Maia, Denise Frossard e Picciani.
Vc acha que eles querem o Crivella como concorrente ao Senado ?
Só a UNIVERSAL elege o Senador para mais 8 anos. Aí sobraria somente 1 vaga.
Eles optaram em "deixar" o Senador ser Prefeito agora para não atrapalhar os planos deles.
Todos os candidatos que poderiam atrapalhar a vitória do Crivella foram retirados do jogo.

Vc ainda tem alguma dúvida de quem vai ser o próximo prefeito ??

Sds

Lobo