20.8.07

Um governo de muletas

Há certas questões em que a genética não influencia absolutamente nada. Como pode um governador que é filho de uma professora com um conselheiro do Tribunal de contas do município ser tão mau, tão insensível em relação aos servidores públicos?
O reajuste imposto pelo governo de 25% em dois anos não chega nem a ser ridículo. Na verdade uma proposta completamente ridícula seria pelo menos o dobro do reajuste que foi estabelecido e com um prazo bem mais curto para a aplicação. E o que é pior: não se deram nem ao luxo de ouvir ninguém, de receber os representantes dos trabalhadores. Nem sequer fingem ser um governo democrático.
O Governo diz que não tem dinheiro. Mentira. O secretário Joaquim Levy vive por aí se orgulhando do dinheiro que juntou nesses oito meses no cargo. O problema é que nunca tem dinheiro para o que é importante, pois o Governo tem valores inversamente proporcionais ao da sociedade.
Duvido que qualquer cidadão em sã consciência considere que um professor não mereça um salário digno ou que importante mesmo seja gastar dinheiro com essas bobagens que os governos atuais consideram fundamentais. Não creio que ninguém defenda a tese de que um policial tem que por sua vida em risco em troca de um salário medíocre.
Mas essa, infelizmente, é a lógica dos governantes chamados neoliberais. Ao estado, sua máquina e seus servidores, nada. Aos banqueiros, via superávit primário, tudo.
Perguntar não ofende: o que o secretário Joaquim Levy pretende fazer com os 2 bilhões que tem em caixa, segundo ele próprio?
E mais: se não for para investir nos serviços essenciais à população, inclusive nos servidores que prestam estes serviços, para que serve o Estado? Para que pagamos impostos?
Com a palavra o Governador

3 comentários:

Rogério disse...

Dinheiro, pra que dinheiro, se ela não me dá bola/em casa de batuqueiro/o que fala alto é viola.
Martinho Lutero, ou melhor, da Vila, inspirou o Serjão

Rogério disse...

E poderia ser um Governo de Mulatas. Seria bem melhor, né?

Rogério disse...

Portella, desculpe. É que estou sem sono e teus artigos são instigadores, provocadores, provocam dores aos devedores.
3:32 já é hora...