3.5.07

Um pouco de poesia...

Gozo

Poesia é tua carne
Teus dedos
Teus lábios grossos

Tua febre, teus remorsos
Tua sensação de gozo

Poesia é um ser raivoso
E amável
Que mora nos teus sentidos
Te invade pelos ouvidos
Boca, olhos e narinas
Te faz sutil e felina
Se aloja em teus orifícios

Poesia são teus vícios
Tua calma
Teu desespero
E todas as tuas virtudes

Poesia, são
Os grandes lábios
Da tua rosa perfeita

A forma como te deitas
Expondo as ancas e o cio

Teu eterno desvario
Teu medo da solidão

É o ferro quente que fere
A palma da tua mão

É tua honra
E teu censo

Teu torpor
E teus anseios

São milhões de devaneios
Correndo extasiados
No espaço do teu delírio

A poesia é um Rio
Que corre pelo teu corpo
Proporcionando conforto
Angústia e ansiedade

É a cor da tua vontade
É cada desejo teu

São dedos ágeis e leves
Te dando um carinho breve
No interior das coxas

Te envolve e te desabrocha
Te cala
E te faz gritar

Poesia é o sumo salgado
Que escorre pelo teu vórtice

Te leva a uma doce morte
E te faz ressuscitar

Um comentário:

Ghiza Rocha disse...

Que lindo rapaz! Te descobri na comunidade e voltarei com certeza!