20.10.10

Meninas da noite

Meninas da noite 
defloram a lua 
São belas atrizes 
e atuam 
no espaço ordinário 
entre o peito e a palavra 

Suas doces fragrâncias 
agravam 
as coisas do instinto 
Depois, vinho tinto 
suave ou rascante 
pra tornar gigantes 
os seres aflitos 



Meninas da noite 
dispensam os gritos 
das gargantas roucas 
Adoçam a boca 
com mel e saliva 
São como uma brisa 
suave e fresca 
na alma dos loucos 

Meninas da noite 
são flores pra poucos 
e afloram 
nos jarros vazios 
daqueles que amam 
os corpos e as almas 
mas, tolos, naufragam 
com todos os cios 
nas águas dos rios 
devassos e afoitos

2 comentários:

Claudia Letícia disse...

Bom, essas meninas da noite não fazem nada de graça, hein ?!

Tem que abrir a carteira !

ehehehehehehehe

Vicente Portella disse...

É verdade, Claudinha...rs