12.7.07

Coma poesia

Coma a letra
A sílaba
A palavra

Coma inteiro o poema
Com a avidez de quem lavra
A terra tenra e macia

Coma o verbo, a verve, a expressão
Coma a insinuação
do belo
Em cada mero detalhe

Coma tudo e embaralhe
No cérebro
As sensações
Do que choca e extasia

Coma o verso e a poesia
Como quem bebe uma lágrima
Num cálice de cristal

Coma o bem e coma o mal
Mas coma tudo aos pedaços
Coma com sofreguidão

Coma todo o proseado
Assim como o esfomeado
Devora o pão e a carne

E deixe escorrer, suave
Dos cantos da tua boca
O sumo da amplidão



Vicente Portella

Um comentário:

Josué Cardoso disse...

Caro Vicente, que gostoso abrir seu blog e degustar um conteúdo tão bonito, especialmente seus poemas. Continue assim, véio.
Do amigo e grande fã.